quarta-feira, 25 de outubro de 2017

BOM CAMINHO

BOM CAMINHO
Eu não consigo deixar esta seca
De rondar o ambiente que te cerca,
De espreitar o teu beco para te rever,
Já que não se esvai a vontade de te ver.

Não sei com que cola estás fixa nesta mente
Talvez seja a cola "crazy" por estar demente
A ver-te na escuridão da breu a passar
E meu coração acelera-me o cérebro a assar.

Queria te obedecer, estava a tentar
Já que pediste p’ra não te tentar;
Mas eu não consigo deter o vento


Que me empurra para ti, no momento.

Se a Esperança me diz que fazes fita
Para enfeitares a roupagem da paixão
Que, um dia, vais exibir toda catita
Serás unida a mim, mesmo de coração.

Ah! Deixo-me levar pela tua chantagem!
E vou idolatrar tua sombra e tua imagem
Confesso, querendo roçar a minha na tua pele,
Consoante o impulso que nos impele.

De bom grado, peço e espero que aceites
A minha amizade, amor e deleites;
Prometo extenso tempo de carinho
E permaneço contigo no bom caminho.

Amália Faustino
21/10/2017