Pesquisar neste blogue

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Voando sentimentos

Voando sentimentos

Sonhei com alguém a se dispor 
A exibir amor por mim até brilhar,
Competindo pelo meu amor 
Por caminhos que vem trilhar!

Ao sol ou nos labirintos sem brados 
Ou nos bosques ensombrados…
Onde os  raios filtrados, 
Estão batidos e até quebrados

Entre alegria e sentimentos lembrados.
Em livres caminhos e posições estratégicas
No dobrar da esquina, como balas mágicas
Semeia amor de verde viço, a partir de sobrados


Sonhei ainda que senti algo enfiado
Algures neste meu peito esfriado
Abandonado em cárcere lacrado
Sentimento maltratado e esmagado
Sob um pesado betão armado.

Ainda em sono, sonhando,
Estava uma serpente sugando
E as gotas de amor secando…
Gritei CREDO! Atirem, como mando!
Ou agora ou nunca! É amor voando!


Acordei do pesadelo, sem selo,
Apenas o desamor fóssil em zelo;
De vermes sanguessugas, nem grelos,
Felizmente! Ih! Nos cochos, só farelos!
Dissipação. Liberdade em vida voltando


Amália Faustino, 22 de Janeiro de 2018