quinta-feira, 20 de novembro de 2014

MAR





Aqui, à espera do pôr do sol,

Escuto o chap chap das  ondas

Dum mar que insiste  no vaivém,

E desassossego desmedido .

Ó mar, perdoa-me se errei

Quando levou o meu amor!

E agora, é castigo demais recordar

De algo, algures, como o céu distante

Que o tempo  escondeu

Abafado ou fadado e bafejado,

Mas não apagado

Da minha  memória defronte,

Por detrás do horizonte!

Amáia Faustino

terça-feira, 18 de novembro de 2014

O Ser Homem



                                                             
O ser homem

Oh que bela a vida vivida com verdadeiro amor!


Sabendo que  há diversos gestos de quem ama
E tem sentido, sabor vivenciado ou gozado no amor!
Resta saber viver o amor com amor que ama!

Homem sabe e sente o quanto a mulher o ama,
O reconhecimento que a mulher dele espera
Mais são palavras lindas,  gestos suaves…
E ele, atuante, ostentando o vabor do seu amor,
Mesmo quando falha, tem perdão reparador.

Amália Faustino